QUINZE PERGUNTAS

1. Por que o presidente do povo usa terno Armani?

2. Por que o presidente do povo pode ter ensino fundamental incompleto e um gari necessita de ensino fundamental completo?

3. Por que o presidente do povo acumula aposentadoria por invalidez, aposentadoria de deputado federal, pensão vitalícia de perseguido político (isento de Imposto de Renda), salário de presidente de honra do PT e salário de Presidente da República?

4. Por que o presidente do povo é perseguido político, sendo que passou apenas UMA noite no DOPS?

5. Por que o presidente do povo comprou um avião da concorrente da Embraer?

6. Por que o presidente do povo se aposentou por invalidez apenas por ter um dedo a menos e hoje “trabalha” [sic] como Presidente do Brasil?

7. Por que o presidente do povo protege seus amigos comprovadamente corruptos e nunca aconteceu nada com ele?

8. Por que o presidente do povo se vangloria de não ter estudo e ser filho de mãe analfabeta e acha normal ter filhos estudando fora do Brasil?

9. Por que o presidente do povo quando do seu mandato de Deputado Federal, não participou da vida parlamentar do Congresso?

10. Por que o partido do presidente do povo tem ligação com as FARC e ninguém comenta isto?

11. Por que a mulher do presidente do povo não faz absolutamente nada, e ainda recebe condecoração?

12. Por que o presidente do povo não sofreu impeachment como o Collor sofreu?

13. Por que a ex-Senadora Heloísa Helena foi expulsa do PT e o José Dirceu (Deputado Federal cassado) e Antonio Palocci (Deputado Federal denunciado por quebra ilegal desigilo bancário e outros crimes) não o foram?

14. Por que o presidente do povo nunca soube das coisas do partido e do governo dele, MAS SABE DE TUDO SOBRE OS GOVERNOS ANTERIORES?

15. Finalmente, a pergunta mais difícil de todas: Por que tantos intelectuais, cientistas, professores universitários, reitores e outros membros da nata do país continuam apoiando o presidente do povo?

Anúncios

O trambique e a lei

A lei, no Brasil, acaba sempre indo para segundo plano. O trambique, por outro lado, acaba sempre prevalecendo.

(…) estou me referindo à compra da Brasil Telecom pela Oi (ex-Telemar). A lei vigente proíbe o negócio, mas ele já está tão sacramentado que as ações de ambas as companhias tiveram espetacular valorização nos últimos dias, conforme relato de Fabricio Vieira na Folha de ontem.
Ou seja, há um trambique publicamente em curso, na medida em que a operação é, hoje, ilegal, mas ninguém liga a mínima, porque todo o mundo sabe que o governo vai dar um jeitinho na lei para que a burla deixe de sê-lo. Em qualquer país minimamente sério, uma operação desse gênero provocaria tremendo escândalo.
Em países não tão sérios, seria feita no escurinho. No Brasil, a acomodação da lei aos fatos se dá em plena luz do dia.
E fica por isso mesmo.
É apenas mais um dos incontáveis exemplos de como o lulo-petismo copia todos os métodos, bons ou ruins, do tucanato. Lembra-se de que, na privatização das teles, os principais operadores foram flagrados em uma gravação dizendo que o governo estava agindo “no limite da irresponsabilidade”?
É razoável dizer que, agora, superou-se o limite com a maior sem-cerimônia. Nem é preciso uma gravação clandestina para comprová-lo.
Para se referir à privatização das teles, Elio Gaspari cunhou a expressão “privataria”. Que neologismo usar agora, caro Elio?

Estes são trechos da coluna do Clóvis Rossi na Folha de São Paulo de 16/01/2008 (aqui, na íntegra, para assinantes).

E assim caminha o Brasil…….Muda-se a lei conforme vislumbra-se a chance de ajudar o filho do Presidente da República…..

RELEMBRANDO: a Telemar (atualmente Oi) é a mesma empresa que injetou mais de 5 MILHÕES DE REAIS na empresa do filho do Lulla. Trata-se de um assunto que ainda não foi esclarecido – mas a cegueira (ou má-fé?!) dos PTralhas ignora.

Se FHC tivesse feito isso, teria sido MAIS UM motivo para o PT exigir o impeachment (eles fizeram isso várias vezes, aliás).

Mais detalhes das transações envolvidas: aqui.

2007: Ministro EXTRAORDINÁRIO

Em 2007, Roberto Mangabeira Unger foi nomeado Ministro (extraordinário) de Assuntos Estratégicos, conforme publicado no Diário Oficial (aqui).

E a “zelite”, hein ?! Pergunto isso, porque alguns poderiam afirmar que o Prof. Roberto Mangabeira Unger já foi chamado de “elite intelectual”, pelo fato de ter sido aceito como Professor-titular numa das Universidades mais prestigiosas do mundo, Harvard. Neste sentido, ele representa a “elite”, não ?!

Mas o Lulla sempre critica a “zelite” !!!!!! E …… cria um ministério (extraordinário) para abrigar um membro da “zelite” ?! E não é qualquer membro, não ! Mangabeira Unger disse, com todas as letras, que o governo (?) Lula é o mais corruPTo da história do Brasil (a pesquisa da fundação Perseu Abramo, comentada AQUI, aponta “apenas” como o segundo mais corruPTo, ao menos por enquanto!).

Aliás, o que é um Ministro EXTRAORDINÁRIO ?

Significa que é uma pessoa com uma capacidade EXTRAORDINÁRIA, capaz de feitos EXTRAORDINÁRIOS ?

Ou seria apenas um Ministro que assume numa circunstância extra-ordinária, ou seja, “fora do comum”, inusitada, imprevista, rara, excepcional (na acepção de “exceção”) ?

De qualquer forma, vale MUITO a pena ler o que ele, o Ministro EXTRAORDINÁRIO, escreveu sobre Lulla e impeachment, em 16/08/2005, quando estavam em curso as investigações sobre o Mensalão (investigações, aliás, que naufragaram, do mesmo jeito que naufragaram as investigações sobre a compra de votos para a reeleição de FHC, em 1997) AQUI.

Em 28 de Fevereiro de 2006, o atual Ministro EXTRAORDINÁRIO já tratara do PT e do (des)governo Lulla, nos seguintes termos: A lógica da sucessão presidencial dá a esse risco feição definida e dramática. Sucessivas mentiras e traições repetidas levaram o eleitorado a esperar muito pouco dos governos. Basta indício de competência sem compaixão, ou de compaixão sem competência, para satisfazer hoje multidões de brasileiros de todas as classes sociais. Desenganada de obter transformação do país que democratize o acesso ao trabalho e ao ensino, grande parte dos eleitores pobres conclui que a Bolsa-Família e seu séquito de políticas compensatórias são melhores do que nada. Melhores do que nada, ainda que os recursos que se lhes dedicam sejam pequenos em comparação com as fortunas que se transferem de trabalhadores e de produtores a rentistas por conta da política econômica do governo. A perspectiva da volta ao poder do grupo que governava antes — antinacional, antirepublicano, antidesenvolvimentista e antisocial — causa a dezenas de milhões de nossos concidadãos justificado dissabor. Ah, como seria bom mudar, de governo e de rumo. Mas para colocar no lugar dos governantes de agora aquela gente de antes, que seguiria, com ainda menos compromisso social, o mesmo caminho que o país já trilha, não dá. Talvez seja esse hoje o sentimento da maioria dos brasileiros. Formular o problema é antecipar a natureza da solução: oferecer ao eleitorado alternativa, de proposta de rumo e de projeto de poder, sem cair no esquerdismo vazio ou no moralismo oco. Por que não temos, todos nós que atuamos nessa direção, conseguido até agora providenciar a solução necessária? É porque depois que o regime militar destruiu um sistema partidário que começava a enraizar-se, nunca mais tivemos partidos políticos que representassem mais do que si mesmos. O único era o PT, que se revelou ser um longo desvio em nossa história. Nossos partidos atuais raramente resistem ao curto-prazismo eleitoreiro dos políticos profissionais que os compõem. Muitos primam por confirmar a tese de que no Brasil nem os oportunistas têm senso de oportunidade. A íntegra do documento (que foi publicado na coluna que o Ministro mantinha na Folha de São Paulo) está acessível na página do Ministro mantida pela Harvard School, AQUI.

Recomendo, ainda, a leitura DESTE artigo, que trata da dissolução (legal, é claro) de partidos políticos que violam a Lei Eleitoral. O Ministro EXTRAORDINÁRIO também chegou a pedir o impeachment de Lulla, a quem atribuiu “o governo mais corrupto” da história do Brasil. Em grande medida, um dos fatores que motivou o Ministro EXTRAORDINÁRIO a tais afirmações está explicado AQUI.

Depois, grava um depoimento utilizado na propaganda eleitoral do PT, em 2006:

Bom, o resumo da ópera é o seguinte: o cara diz que o PT e Lulla promoveram o governo mais corrupto da história do Brasil; depois, grava uma mensagem de apoio à reeleição do Lulla, aproveitando seu apelo de popularidade (e desenvoltura na dicção do português, capazes de tormá-lo um “hit” televisivo instantâneo!); finalmente, vira Ministro EXTRAORDINÁRIO ?!

Isso, sim, é uma coisa EXTRAORDINÁRIA !!!!!!!!!!

Políticos do Brasil

Para conhecer melhor os políticos do Brasil, recomendo o livro com o mesmo nome, escrito por Fernando Rodrigues. Maiores informações, aqui.

Como se não bastasse, há ainda o site, com base nos dados levantados pelo jornalista da Folha (que ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo ao denunciar, por exemplo, a compra de votos para aprovação da reeleição de FHC), no qual é possível conhecer muitos detalhes interessantes sobre os políticos que hoje tomam decisões e afetam a vida de milhões de cidadãos. Acesso direto AQUI.

Esse tipo de informação disponibilizada pelo site do jornalista seria particularmente útil se o brasileiro tivesse o hábito de manter um controle sobre seus votos, sobre seus candidatos. Seria importante COBRAR que o candidto (a qualquer cargo) cumprisse suas promessas de campanha, que demonstrasse, após eleito, a mesma postura que adotara anteriormente, na campanha.

O desleixo do brasileiro em relação a seu voto é celeiro para situações como a mudança do PT (que sempre defendeu uma coisa quando era de oposição, mas acabou praticando exatamente a mesma coisa que PSDB, PMDB e tantos outros fizeram quando eram governo), ou mesmo os desvios de conduta em termos mais gerais.

E, por falar nisso, o “valerioduto” tucano, em Minas Gerais, mostra como são parecidos (e podres) os políticos e partidos brasileiros.

Por que o PSDB não fez o que deveria ter feito para cobrar o PT quando do escândalo do Mensalão ? O PT poderia ter tido seu registro cassado, haja vista que recebeu dinheiro do exterior para pagar despesas de campanha de uma eleição majoritária – coisa PROIBIDA por lei. Bastava uma representação no TSE para cassar o registro do PT.

Mas por que isso não foi feito ?

Por que o PSDB não repetiu o discurso do PT, exigindo o impeachment do Rei Lulla ?

Porque tem o próprio rabo preso com o MESMO esquema de fraude que o PT adotou no Mensalão.

Quem é pior ?????