PT: bandidagem e terrorismo

Já afirmei diversas vezes, aqui no blog inclusive, que o PT é o partido da bandidagem.

É o partido formado por bandidos (lembram do Babá ?!), apoiado por bandidos (nem preciso citar CUT, MST etc), e militado por bandidos.

Além dos panfletos terroristas (e recheados de mentiras) da campanha da MarTAXA (que citei aqui), preciso relembrar das mentiras sobre a privatização do Banco do Brasil, na última campanha presidencial ?

Bom, agora tem mais (grifos em negrito são meus):

O presidente do Diretório Municipal do PT, Alberes Lima, confirmou que os panfletos apreendidos na tarde desta sexta-feira (17) pela equipe de fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) foram encomendados pelo partido. No folheto, que foi distribuído no Largo do Machado, zona sul do Rio, aparecem as fotografias do prefeito Cesar Maia e do candidato Fernando Gabeira (PV) com o sinal de soma entre eles. No verso, consta a inscrição “diga não à continuidade do prefeito Cesar Maia. Pense nisso!”.

“O material foi feito por nós, faturado na fábrica. Ele tem o CNPJ do PT”, admitiu Alberes, que, no entanto, negou a presença de qualquer irregularidade. “Não há motivo para a apreensão, porque o panfleto não é apócrifo. Nós só dizemos que o Gabeira é apoiado pelo Cesar Maia e o povo tem o direito de saber disso”, tentou se justificar.

De acordo com o chefe de Fiscalização de Propaganda do TRE-RJ, Luiz Fernando Santa Brígida, o panfleto é irregular porque não traz a indicação do candidato que é beneficiado com a sua divulgação. Neste caso, no material deveriam constar os nomes de Eduardo Paes (PMDB), de seu vice e dos partidos que formam aliança com ele. Segundo Santa Brígida, a legislação eleitoral proíbe a produção de material que apenas ataque um determinado candidato, sem indicar os beneficiados por sua divulgação.

O presidente do PT contestou a interpretação: “O panfleto é do partido político e o PT apóia o Eduardo Paes, mas eu não sou obrigado a colocar tudo no mesmo panfleto. Não tem uma lei que me obrigue a isso, a menos que seja a lei da mordaça ou, então, trata-se de mais um factóide do Cesar Maia, que é especialista em criar factóides”, ironizou.

O juiz da Fiscalização Eleitoral do município, Fábio Uchoa, determinou a busca e apreensão dos panfletos, assinados por PT, PDT, PSB e PCdoB. Fiscais do TRE seguiram para a sede da Ediouro, gráfica que recebeu a encomenda do PT, em Bonsucesso, onde recolheram cerca de 12 mil exemplares da propaganda. Uchoa também intimou a coligação “Unidos pelo Rio”, de Eduardo Paes, a fim de esclarecer se recebeu os panfletos como doação do PT.

A notícia é do UOL eleições, na íntegra aqui.

Percebe-se que a PTralhada tem sempre o mesmo discurso babaca, né ?! A declaração do presidente do PT carioca já remete à tentativa de se colocar como vítima de uma “mordaça”…… QUE BABACA !!!!!!

A criatura abestalhada descumpriu a lei. Simples. Típico do PT.

Mas tem mais ainda: mantendo sua estreita ligação conveniente (e alegadamente “coincidente”) com o crime, o braço sindical do PT criou, ontem, um clima de guerra entre a polícia civil e a polícia militar em São Paulo.

Vamos juntar os pontos……..

Sempre que estamos em período eleitoral, os “braços” do PT criam algum tipo de factóide. Tivemos greve dos metroviários, ataques do PCC, e, agora, greve da polícia civil que descambou para confronto/guerra.

TUDO CAUSADO PELO PT, direta ou indiretamente.

Para quê ?

A finalidade é clara: permitir que dona MarTAXA dê declarações patéticas como esta AQUI.

Ela é uma hipócrita.

Anúncios

O PT tucanou o terrorismo eleitoral

Marta Suplicy agora é uma coitada.

Estou CUmovido.

Ela é uma coitada, perseguida pela imprensa. Ela é uma pessoa humilde, preocupada verdadeiramente com as pessoas. Dedicou sua vida inteira à melhoriada vida da população pobre, mesmo tendo sido criticada pela mídia golpista, sempre defendendo os interesses da direita retrógrada, dos imperialistas e da burguesia….

Sei, sei…..

Vejam só a carinha de coitada neste vídeo AQUI.

Não é de CUmover qualquer um ??????????

Marta Suplicy (ou seria Favre ?!) não tem nada a ver com os panfletos terroristas que foram espalhados por militantes do PT, conforme amplamente divulgou-se (veja aqui).Em nenhum momento a campanha da Marta negou a autoria dos panfletos.

Pelo contrário: uma nota à imprensa no site da candidata (aqui) não apenas assume a autoria, como demonstra o caráter democrático do PT:

O candidato Gilberto Kassab, em atitude característica de sua história antidemocrática e seu medo da verdade, entrou na Justiça Eleitoral com pedido para apreensão de jornal da campanha de Marta. O material traz comparações cristalinas e irrefutáveis entre o atual prefeito e  a administração comandada por nossa candidata entre 2001 e 2004.

O senhor Kassab, descontente por termos denunciado o aumento da mortalidade materna na cidade e a redução do pré-natal da gestante negra em 22 das 31 subprefeituras, apegou-se a essa revelação para afirmar que o estamos acusando de racismo.

Essas informações constam do relatório Indicadores da Cidade 2008, publicado pelo Observatório Cidadão – Nossa São Paulo, entregue a todos os candidatos ainda no primeiro turno da eleição municipal. A organização não governamental aponta queda no atendimento às gestantes negras em relação ao número de gestantes brancas atendidas.

O senhor Kassab não desmente quaisquer dos fatos mencionados, mas se desespera contra um jornal que leva essas verdades ao eleitor.

Infelizmente o atual prefeito, amparado pelos setores mais conservadores e atrasados da cidade, conseguiu medida liminar que censura nosso material e impede sua circulação. Tal procedimento demonstra, outra vez mais, sua verdadeira personalidade: descamba para ações próprias da ditadura militar derrotada pelo povo brasileiro, mas que serviu de pia batismal para o partido ao qual pertence o candidato Kassab.

Mas nada nos fará recuar do esforço para travar um debate sério e profundo sobre projetos, realizações e trajetórias dos dois candidatos. Seguiremos adiante em nossa batalha para desmascarar as mentiras e o autoritarismo do outro candidato.

Carlos Zarattini

Coordenador-geral

Antidemocrático é o Kassab ????? Só por que ele recorreu à justiça para que o tal panfleto fosse recolhido ????

A notícia da Folha (na íntegra aqui) dá uma noção do conteúdo do tal panfleto (os grifos em negrito são meus):

A campanha da candidata Marta Suplicy (PT) distribuiu nesta terça-feira um panfleto acusando seu rival no segundo turno, o prefeito Gilberto Kassab (DEM), de tentar derrubar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No texto, Kassab é descrito como inimigo do presidente e que seu objetivo é acabar com os programas sociais implantados pelo governo federal.

O folheto de quatro páginas –distribuído por cabos eleitorais petistas durante corpo-a-corpo da candidata na zona leste– compara a gestão da ex-prefeita com a de Kassab. Na página três, as críticas contra o prefeito-candidato se transformam em acusação ao afirmar que ele quer derrubar Lula do poder.

Questionada sobre essas acusações, Marta disse que não conhecia o conteúdo de seu material de campanha. “Deus me livre, eu não sabia disso não”, afirmou Marta, demonstrando surpresa. Segundo a candidata, ela não consegue acompanhar o que é publicado nos “milhares de panfletos” distribuídos por sua campanha. “Eu acompanho a elaboração de propostas”, disse. “Eu só posso ser criticada, ser responsável pelas propostas que faço.”

A resposta da candidata, então, é um acinte à inteligência de qualquer possuidor de 2 neurônios e ao menos uma sinapse.

Ela só pode ser criticada/responsabilizada pelas propostas que ELA faz ? O que faz o seu comitê de campanha é responsabilidade de quem ??????????

DA MÃE JOANA ??????????

Ops, eu não tenho nada a ver com isso !!!!!!!!!

Aliás…….. alguém sabe dizer QUEM É Carlos Zarattini ????????

Será que ele é o candidato ?????????

Afinal, esse cara assina todos os “documentos” da campanha, está sempre a par das ações da campanha – enquanto a candidata Marta, coitadinha, segue sendo perseguida pela imprensa golpista……

QUANDO É QUE O BRASILEIRO VAI COMEÇAR A COBRAR A RESPONSABILIDADE DOS POLÍTICOS (E CANDIDATOS A) DO PAÍS ???

QUANDO IRÁ RESPONSABILIZÁ-LOS PELOS SEUS ATOS, AO INVÉS DE ACEITAR A TRANSFERÊNCIA DA RESPONSABILIDADE POR SUAS AÇÕES A TERCEIROS ???

Só assim o Brasil pode pensar em ser, algum dia, um país sério.

Depois, futuramente, uma nação.

Quem sabe……

Saudação das FARC

É sempre interessante “remexer” o baú de notícias…….

Agora em 2008, muito se falou sobre as FARC, um grupo terrorista que conta com o apoio de Hugo Chávez, Fidel Castro (R.I.P.), Lulla e outros trogloditas debilóides. A notícia abaixo dispensa qualquer comentário:

Farc divulgam carta em que saúdam Lula pela reeleição

Reuters22/11/2006

BOGOTÁ (Reuters) – A principal guerrilha colombiana de esquerda, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), enviou na quarta-feira uma “saudação bolivariana” ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o parabenizou pela sua recente vitória eleitoral, que lhe garantiu mais quatro anos de mandato, classificando-o como filho predileto do Brasil.

As Farc, uma força guerrilheira de 17.000 combatentes, costuma enviar saudações aos governos de esquerda da América Latina.

“O mundo é testemunha de que o povo brasileiro fez das urnas eletrônicas o sacrário de sua vontade soberana, pois transformou a reeleição do presidente Lula em uma lição de soberania popular, em uma manifestação clara de rejeição às velhas formas de governo”, disse a guerrilha em uma carta enviada por email.

As Farc anunciaram que respeitarão o território do Brasil e que estão dispostas a estabelecer relações políticas com os governos e populações de países vizinhos.

O Brasil compartilha com a Colômbia uma fronteira terrestre de 1.645 quilômetros.

As Farc, que afirmam lutar pela implementação do socialismo num país de mais de 41 milhões de pessoas com uma grande distância entre ricos e pobres, reiterou suas críticas aos Estados Unidos e ao governo do presidente colombiano, Alvaro Uribe, que promove uma agressiva campanha militar para combater a guerrilha com o apoio de Washington.

(Por Luis Jaime Acosta)

 

DIÓGENES JOSÉ CARVALHO DE OLIVEIRA, sortudo

DIÓGENES JOSÉ CARVALHO DE OLIVEIRA.

Este é o nome dele. A “ficha corrida” é simplesmente impecável:

A revolução de Março de 1964 o encontrou como militante do Partido Comunista Brasileiro (PCB). Sentindo-se perseguido, fugiu para o Uruguai, onde ingressou, em 1966, no recém-criado Movimento Nacionalista Revolucionário (MNR) de Leonel Brizola. Ainda nesse ano, arranjado por Brizola, foi fazer curso de guerrilha em Cuba, onde ficou um ano e se destacou como especialista em explosivos. Em 1967, já no Uruguai, tomou consciência de que Brizola era muito de falar e pouco de agir. Diógenes queria, ardentemente, exercitar o que aprendera na ilha de Fidel. Retornou ao Brasil e, em Porto Alegre, conheceu Almir Olímpio de Melo (“Paulo Melo”), que o conduziu a Onofre Pinto, em São Paulo, que também se havia desiludido com o comandante Brizola.

Em Março de 1968, concretizou- se o congresso de fundação da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) – organização comunista criada para derrubar o regime pela luta armada – cuja primeira direção ficou constituída por Wilson Egídio Fava, Waldir Carlos Sarapu e João Carlos Kfouri Quartim de Morais, pelo grupo dissidente da Política Operária (POLOP), e Onofre Pinto, Pedro Lobo de Oliveira e Diógenes José Carvalho de Oliveira, pelo núcleo de remanescentes do MNR. Diógenes conseguiu, assim, iniciar uma longa trilha de sangue, realizando algumas dezenas de ações terroristas na capital paulista, dentre as quais assaltos a bancos, explosões de bombas e assassinatos. O que se segue é, apenas, uma pequena, uma pálida idéia do que praticou esse militante comunista.

  • No início da madrugada de 20 de Março de 1968, participou do atentado que fez explodir uma bomba-relógio na biblioteca da USIS, no consulado dos EUA, localizado no térreo do Conjunto Nacional da Avenida Paulista. Três estudantes amigos, que caminhavam pelo local, foram feridos: Edmundo Ribeiro de Mendonça Neto, Vitor Fernando Sicurella Varella e Orlando Lovecchio Filho, que perdeu o terço inferior da perna esquerda.
  • Na madrugada de 20 de Abril de 1968, preparou mais uma bomba, desta vez lançada contra o jornal “O Estado de São Paulo”, que funcionava na esquina da Rua Major Quedinho com a Rua Martins Fontes; do mesmo modo que a anterior, a explosão feriu três inocentes
  • Na madrugada de 22 de Junho de 1968, participou do assalto ao Hospital do Exército em São Paulo, localizado no Cambuci. Fardados de tenente e soldados, cerca de 10 militantes da VPR renderam a guarda e roubaram nove fuzis FAL, três sabres e quinze cartuchos 7,62 mm
  • Na madrugada de 26 de Junho de1968, fez parte do grupo de 10 terroristas que lançou um carro-bomba contra o Quartel General do então II Exército, no Ibirapuera, matando um dos sentinelas, o soldado Mario Kosel Filho, e ferindo mais seis militares.
  • Em 01 de Agosto de 1968, participou do assalto ao Banco Mercantil de São Paulo, localizado na Rua Joaquim Floriano, 682, no bairro do Itaim, com o roubo de NCr$ 46 mil.
  • Em 20 de Setembro de 1968, participou do assalto ao quartel da Força Pública, no Barro Branco. Na ocasião, foi morto a tiros o sentinela, soldado Antonio Carlos Jeffery, do qual foi roubada a sua metralhadora INA.
  • Em 12 de Outubro de 1968, participou do grupo de execução que assassinou o capitão Chandler, do Exército dos EUA. Foi Diógenes quem se aproximou do capitão – que retirava seu carro da garagem, na frente da mulher e filhos – e nele descarregou os seis tiros de seu revólver Taurus calibre 38.
  • Em 27 de Outubro de 1968, participou do atentado à bomba contra a loja Sears da Água Branca.
  • Em 06 de Dezembro de 1968, participou do assalto ao Banco do Estado de São Paulo (BANESPA) da Rua Iguatemi, com o roubo de NCr$ 80 mil e o ferimento, a coronhadas, do civil José Bonifácio Guercio.
  • Em 11 de Dezembro de 1968, participou do assalto à Casa de Armas Diana, na Rua do Seminário, de onde foram roubadas cerca de meia centena de armas, além de munições. Na ocasiao, foi ferido a tiros o civil Bonifácio Signori.
  • Foi o coordenador do assalto realizado em 24 de Janeiro de 1969, ao 4º RI, em Quitaúna, com o roubo de grande quantidade de armas e munições e que marcou o ingresso de Carlos Lamarca na VPR.
  • Em 02 de Março de 1969, Diógenes e Onofre Pinto foram presos na Praça da Árvore, em Vila Mariana.
  • Um ano depois, em 14 de Março de 1970, foi um dos cinco militantes comunistas banidos para o México, em troca da vida do cônsul do Japão em São Paulo.
  • Diógenes ficou pouco tempo no México, indo rever seus amigos em Cuba, onde ficou por cerca de um ano. Em 25 de Junho de 1971, saiu de Cuba e foi para o Chile, que havia se tornado, com Allende, a nova “Cuba sul-americana” . Com a queda de Allende, em Setembro de 1973, retornou ao México e daí foi para a Europa, onde esteve em diversos países, dentre os quais a Itália e a Bélgica.
  • Em fins de 1974, radicou-se em Lisboa, onde permaneceu um ano.
  • Em Janeiro de 1976, iniciou seu périplo africano, onde foi para Angola e Guiné-Bissau, sempre junto com sua então companheira Dulce de Souza Maia, a “Judith” da VPR.
  • Em 1979 e em 1981, representando o governo de Guiné-Bissau, esteve no Brasil por alguns dias.
  • Em 1986, era o assessor do vereador do PDT Valneri Neves Antunes, antigo companheiro da VPR e fazia parte do movimento “Tortura Nunca Mais”.

Na década de 1990, ingressou nos quadros do PT/RS, sempre assessorando seus líderes mais influentes.
Era o Diógenes da VPR.
Hoje, é o Diógenes do PT
Atualmente é o presidente do Clube de Seguros da Cidadania, em Porto Alegre, órgão encarregado de coletar fundos para o PT.

Como já anotara o jornalista Elio Gaspari (veja aqui), o ilustre “Diógenes do PT” foi agraciado, pelo não menos ilustre Ministro da Justiça ( o PTralha Tarso Genro), com vencimentos de R$ 1.627,72 mensais, fora uma bolada de mais de 400 MIL REAIS a título de “anistia”.

Eis os detalhes:

Publicada no Diário Oficial da União de 24 de janeiro de 2008 – pág. 38
Ministério da Justiça – GABINETE DO MINISTRO
PORTARIA Nº 112 DE 23 DE JANEIRO DE 2008
O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições legais, com fulcro no artigo 10 da Lei nº 10.559, de 13 de novembro de 2002, publicada no Diário Oficial de 14 de novembro de 2002 e considerando o resultado do julgamento proferido pela
Comissão de Anistia, na 75ª Sessão realizada no dia 06 de setembro de 2007, no Requerimento de Anistia nº 2003.01.17477, resolve: Declarar DIÓGENES JOSÉ CARVALHO DE OLIVEIRA portador do CPF nº 428.216.490- 53, anistiado político, concedendo-lhe reparação econômica, de caráter indenizatório, em prestação mensal,
permanente e continuada, correspondente ao cargo de Auxiliar Administrativo, conforme informado pela Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica do Rio Grande do Sul – CEEE – GT, no valor de R$ 1.627,72 (um mil, seiscentos e vinte e sete reais e setenta e dois centavos), com efeitos retroativos da data do julgamento em 06.09.2007 a 05.10.1988, perfazendo um total retroativo de R$ 400.337,73 (quatrocentos mil, trezentos e trinta e sete reais e setenta e três centavos), e a contagem do tempo, para todos os efeitos, do período compreendido entre 06.06.1966 e 10.10.1979, nos termos do artigo 1º, incisos I, II e III da Lei nº 10.559, de 2002.

Isso é o PT.

Isso é o que o PT vem fazendo: dilapidando o erário. Fudendo o Brasil.

Direitos humanos – a favor dos bandidos

Complementando o post de ontem (aqui), a coluna de Elio Gaspari na Folha de São Paulo de hoje (aqui) é simplesmente um primor:

Em 2008 remunera-se o terrorista de 1968

DAQUI A OITO dias completam-se 40 anos de um episódio pouco lembrado e injustamente inconcluso. À primeira hora de 20 de março de 1968, o jovem Orlando Lovecchio Filho, de 22 anos, deixou seu carro numa garagem da avenida Paulista e tomou o caminho de casa. Uma explosão arrebentou-lhe a perna esquerda. Pegara a sobra de um atentado contra o consulado americano, praticado por terroristas da Vanguarda Popular Revolucionária. (Nem todos os militantes da VPR podem ser chamados de terroristas, mas quem punha bomba em lugar público, terrorista era.)

Lovecchio teve a perna amputada abaixo do joelho e a carreira de piloto comercial destruída. O atentado foi conduzido por Diógenes Carvalho Oliveira e pelos arquitetos Sérgio Ferro e Rodrigo Lefèvre, além de Dulce Maia e uma pessoa que não foi identificada.
A bomba do consulado americano explodiu oito dias antes do assassinato de Edson Luís de Lima Souto no restaurante do Calabouço, no Rio de Janeiro, e nove meses antes da imposição ao país do Ato Institucional nº 5. Essas referências cronológicas desamparam a teoria segundo a qual o AI-5 provocou o surgimento da esquerda armada. Até onde é possível fazer afirmações desse tipo, pode-se dizer que sem o AI-5 certamente continuaria a haver terrorismo e sem terrorismo certamente teria havido o AI-5.

O caso de Lovecchio tem outra dimensão. Passados 40 anos, ele recebe da Viúva uma pensão especial de R$ 571 mensais. Nada a ver com o Bolsa Ditadura. Para não estimular o gênero coitadinho, é bom registrar que ele reorganizou sua vida, caminha com uma prótese, é corretor e imóveis e mora em Santos com a mãe e um filho.
A vítima da bomba não teve direito ao Bolsa Ditadura, mas o bombista Diógenes teve. No dia 24 de janeiro passado, o governo concedeu-lhe uma aposentadoria de R$ 1.627 mensais, reconhecendo ainda uma dívida de R$ 400 mil de pagamentos atrasados.

Em 1968, com mestrado cubano em explosivos, Diógenes atacou dois quartéis, participou de quatro assaltos, três atentados a bomba e uma execução. Em menos de um ano, esteve na cena de três mortes, entre as quais a do capitão americano Charles Chandler, abatido quando saía de casa. Tudo isso antes do AI-5.

Diógenes foi preso em março de 1969 e um ano depois foi trocado pelo cônsul japonês, seqüestrado em São Paulo. Durante o tempo em que esteve preso, ele foi torturado pelos militares que comandavam a repressão política. Por isso foi uma vítima da ditadura, com direito a ser indenizado pelo que sofreu. Daí a atribuir suas malfeitorias a uma luta pela democracia iria enorme distância. O que ele queria era outra ditadura. Andou por Cuba, Chile, China e Coréia do Norte. Voltou ao Brasil com a anistia e tornou-se o “Diógenes do PT”. Apanhado num contubérnio do grão-petismo gaúcho com o jogo do bicho, deixou o partido em 2002.

Lovecchio, que ficou sem a perna, recebe um terço do que é pago ao cidadão que organizou a explosão que o mutilou. (Um projeto que re- vê o valor de sua pensão, de iniciativa da ex-deputada petista Mariângela Duarte, está adormecido na Câmara.)
Em 1968, antes do AI-5, morreram sete pessoas pela mão do terrorismo de esquerda. Há algo de errado na aritmética das indenizações e na álgebra que faz de Diógenes uma vítima e de Lovecchio um estorvo. Afinal, os terroristas também sonham.

Não entendi, ainda, qual o ponto de intersecção entre os “Direitos Humanos” (no Brasil, formado por um grupo de pelegos PTralhas) e a Justiça.